RECENTES

DESTAQUES

quarta-feira, 23 de maio de 2018


Nessa matéria vamos configurar o Debian instalando codecs para que você possa aproveitar ainda mais o seu sistema.

E para isso vamos usar os seguintes comandos:


 apt install lame libavcodec-extra libavtools  

Agora vamos instalar dois players que considero importantíssimos:


 apt install vlc smplayer 

Em seguida vamos adicionar alguns codecs para o xine e o Mplayer:


wget http://www.deb-multimedia.org/pool/non-free/w/w64codecs/w64codecs_20071007-dmo2_amd64.deb && dpkg -i w64codecs_20071007-dmo2_amd64.deb  

Não podemos esquecer dessa aplicação importantíssima para trabalhar e tratar áudios, qual utilizo bastante para os vídeos do canal:


 apt install audacity

E finalmente para editar vídeos, esse programa que não deixa nada a desejar ao Vegas e ao Adobe Premier, talvez possua um pouco menos recursos que o Final Cut da Apple, mas não deixa de ser um editor incrível:


 apt install kdenlive


E pronto, agora já possui diversos codecs, para ouvir músicas, tratar áudios, assistir e tratar os vídeos.


INSTALANDO CODECS, PLUGINS E PLAYERS NO DEBIAN

quinta-feira, 17 de maio de 2018


O Fedora 28 chegou na versão final no ultimo dia 01 de maio e como de costume estou testando desde a versão Beta, para ficar por dentro das novidades da nova versão e trazer pra vocês em primeira mão.

Na versão Workstation, que se trata da versão oficial, temos a interface Gnome 3.28, se tratando de uma interface produtiva e intuitiva, na qual o projeto conseguiu extrair o máximo quanto a fluidez e beleza e desempenho.

Para tornar o Fedora mais amigável para o público em geral, essa versão possui menos perguntas no momento da instalação, e dentre as mudanças notei que não existe mais a configuração de uma senha root e outra de administrador do sistema, sendo que a senha de admin também será utilizada para as ações de usuário raiz do sistema, como já ocorria no Ubuntu.

Dentre as mudanças mencionadas e percebidas no sistemas, as que mais se destacam:

  • A inclusão do novo repositório modular, permitindo a seleção entre diferentes versões do software, para que você possa escolher qual a biblioteca que melhor vai se encaixar com a sua necessidade de uso.
  • Além da promessa de um aumento considerável da duração das baterias dos notebooks, não sendo mais necessário recorrer a ajustes manuais, para alcançar um ganho de 30% na performa-se. O que os usuários avançados já conseguiam, mas a idéia é trazer a facilidade para o alcance de todos.
  • Também ocorreu uma diminuição na redundância da configuração inicial.


Além do Fedora Wokstation, também existe o Fedora spins e o Fedora Labs, um que disponibiliza a versão do Fedora com outras interfaces gráficas, como Kde, Cinnamon, dentre outras, e o Fedora Labs, que atende a públicos específicos, como designers, músicos, e até profissionais da área de segurança da informação, possuindo o Fedora Security como excelente opção ao Kali e Blackarch, distribuições focadas para pentestes.

Segue abaixo o link para acesso a essas páginas citadas, e se você quiser ficar por dentro de maiores detalhes sobre essa versão do Fedora assista o vídeo a seguir.



Vídeo sobre o Fedora 28

Fontes:


Chegou o Fedora 28

terça-feira, 10 de abril de 2018



Como um blog que começou trazendo notícias sobre a distribuição Linux Fedora, não poderia deixar de mencionar a chegada do Fedora 28 no estagio Beta, e através dessa matéria farei um acompanhamento bem completo sobre o que está vindo na próxima versão do sistema.


Estava me preparando para fazer um vídeo a respeito, mas tive um probleminha no jack no meu Ultrabook, oque causo um atraso no vídeo do canal sobre o Fedora 28 na versão Beta, mas assim que sair, estará incluso nessa matéria e disponível no canal RikerLinux.

O Fedora é amplamente conhecido por trazer muitas inovações no mundo open source, na qual são implementadas, testadas e aprimoradas para integrar futuramente as versões do Red Hat Interprise Linux, que serão por sua vez recompiladas nas versões do CentOS, e farão parte de diversas outras distribuições Linux, que vão aderir a tais desenvolvimentos. Por isso o Fedora acaba sendo sinônimo para muitos de um sistema de testes e de instabilidade. Contudo o Fedora consegue ser um sistema bem estável, e no canal RikerLinux temos um vídeo explicando melhor essa questão, basta clicar nesse Link.
Retornando ao assunto em questão, sobre o que esperar do Fedora 28, dentre as novidades que estão chegando, a que logo me chamou atenção, é a possibilidade de uma vida útil maior da bateria nos notebooks. Isso me chama bastante atenção, pois estava tendo um consumo exagerado de energia no meu ultrabook.
Tudo indica que não haverá mais ajustes manuais, o Fedora 28 implementará diversos ajustes automáticos para melhorar a vida útil de sua bateria. Segundo noticiado em uma palestra no FOSDEM 2018.
Quanto ao gerenciamento de energia podemos constatar que o Fedora 28 terá:
Ativação da suspensão automática para codecs Intel HDA, economizando em torno de 0,4W
Habilitando o SATA ALPM por padrão a economia chega até 1,5 W
Já Habilitando a Atualização Automática do Painel i915 por padrão foi notado uma economia aproximada de 0,5 W.
Com esses ajustes, alguns modelos de notebooks terão um ganho de até 30% na duração da bateria.
Os usuários mais avançados já conseguem fazer esses ajustes de forma manual, alcançando o mesmo resultado, mas a idéia é fornecer uma experiência prática para todos os usuários do Fedora.
Ocorrerá também uma diminuição na redundância da Configuração Inicial, tornando o sistema mais amigável para iniciantes. O Fedora 28 Workstation terá menos "perguntas" para responder no momento da instalação. Não haverá mais nenhuma senha root e a própria senha do usuário será suficiente para as ações da raiz, da mesma forma que no Ubuntu, sendo configurada pelo menos na fase beta, posterior a reinicialização pós instalação, e não mais durante, como ocorria antes.
Também haverá algumas mudanças de código para reduzir a redundância entre o instalador do Anaconda e o gnome-initial-setup.
Teremos também um suporte aperfeiçoado ao VirtualBox, o Fedora 28 terá a adição de drivers convidados ao pacote do kernel do Fedora, empacotando as ferramentas userspace (Adições ao VirtualBox Guest) e adicionando o pacote VirtualBox Guest Additions à lista de pacotes padrão para o produto Workstation. E isso vai para aqueles que bloqueiam nos grupos do Telegram e respondem de maneira mal educada aos usuários Fedora que têm dúvidas sobre o virtualbox, segue o link de um grupo Fedora sem esses problemas.
O Fedora 28 também já está com a versão mais recente do desktop GNOME, a 3.28. que conta com diversos recursos.
Nessa versão beta, só pude ter acesso a esse papel de parede, mas com certeza a esquipe do Fedora está preparando diversas opções, para você deixar a area de trabalho do seu jeito.

Assim que sair a versão final do Fedora 28, farei uma análise no canal e deixarei disponível aqui.
Compartilhe e deixe um comentário do que espera sobre essa versão 28 do sistema.
Fonte:

https://itsfoss.com/fedora-28-release-features/

Chegou o Fedora 28 Beta, oque esperar da nova versão do sistema azul?

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017



Como um blog que aborda sobre Linux, não posso deixar de mencionar sobre o sistema que inspirou e possibilitou o desenvolvimento do Kernel Linux. O Linux surgiu com a proposta de ser um Minix mais usavel, e o Minix, foi uma modificação do UNIX, e para quem não sabe o x do nome Linux, mostra a sua origem. 

O sistema UNIX, é tido como pai da maioria dos sistemas Operacionais e tudo começou no inicio dos anos 60 através de uma parceria para a criação de um sistema Operacional, muito além do que se tinha até o momento. 

Tudo começou no início dos anos 60, quando ocorreu uma parceria entre a General Eletric, a MIT e a Bell Labs para desenvolver um sistema operacional inovador, e para isso juntaram um grupo de programadores renomados.

Porém em 1969 a Bell Labs se retirou do projeto alegando que três instituições com objetivos totalmente distintos dificilmente alcançariam uma solução que beneficiasse ambos os lados (o MIT fazia pesquisa, AT&T monopolizava os serviços de telefonia americanos e a GE queria vender computadores). Outra razão era que os programadores queriam incluir no Multics, tudo que havia sido excluído dos sistemas experimentais até então desenvolvidos. Há quem diga que os programadores ficaram ociosos e acabaram não chegando a lugar nenhum.

O Multics acabou sendo mais utilizado para fins educacionais, e o ultimo servidor Multics foi desativado no ano 2000, tendo seu código aberto disponível em 2007.

UNICS

No projeto MULTICS haviam programadores incríveis dentre os quais podemos destacar Ken Thompson que saiu do projeto com a retirada da Bell Labs mas prosseguiu estudando o sistema. Contudo o MULTICS se tratava de uma sistema de grande porte, não sendo compatível para testar e seu computador pessoal, um DEC PDP-7. A partir daí, em 1970, Ken Thompson resolveu escrever um sistema Operacional mais simples baseado do MULTICS, que rodasse em uma máquina com porte menor. Vendo a criação de seu amigo, Brian Kernighan deu o nome do novo sistema de UNICS ( uniplexed information and computing service).

Em 1973, o pesquisador Denis Ritchie que também trabalhava na Bell Labs criou uma nova linguagem de programação, a linguagem C, sendo uma evolução da então existente linguagem B. E para demonstrar sua eficiência, decidiu reescrever o UNICS, também alterando de UNICS para UNIX, e desde então a liguagem C e o sistema UNIX caminham juntas.

Por isso de se dizer que a maior parte do desenvolvimento do UNIX se deu pelo Ken Thompson, famoso por desenvolver a linguagem B e Dennis Ritchie criador da linguagem C.

Ao ser perguntado sobre o que o influenciou a desenvolver a linguagem C da maneira que fez, Dennis Ritchie afirmou "parecia a coisa certa a ser feita" e prosseguiu dizendo que qualquer pessoa que se encontrasse na mesma altura e no mesmo lugar que ele teria feito a mesma coisa.

O UNIX a princípio teve o seu desenvolvimento em código aberto, e em 1974 a AT&T autorizou o seu licenciamento para utilização do sistema pelas Universidades. Porém em 1977 por enxergar um grande potencial comercial no sistema, a AT&T investiu pesado no mesmo e acabou fechando o código para cobrar um valor de licenciamento do mesmo das empresas que estivessem interessadas. Contudo a Universidade de Berkeley já havia feito modificações na versão que recebeu com código aberto para uso acadêmico, o que desagradou a AT&T, levando a uma disputa aos tribunais na qual se arrastou até os anos 90, com ganho de causa para a Universidade. Porém devido a essa demora as partes do sistema que continham patentes da AT&T, foram reescritas do zero, permitindo que o BSD prosseguisse no meio acadêmico.  

O Sistema UNIX deu origem a maioria dos sistemas Operacionais existentes atualmente, dentre os quais se destacam o MINIX, o BSD, o OSX e o Linux. Temos alguns sistemas que não existem mais, mas que foram importantes para o estudo e desenvolvimento de outros sistemas e recursos como o Open Solaris e o Multics.

O Windows não pertence a essa família, pelo menos não de maneira clara, apesar de alguns alegarem que possui raízes UNIX, seu desenvolvimento se deu através da continuação do QS-DOS, sistema comprado pela Microsoft que pertencia a Seatle computadores, na qual foi remodelado dando origem ao MS-DOS, que através de desenvolvimentos contínuos teve grande incorporação no Windows 1.0 e prosseguiu sendo desenvolvido nas demais versões do sistema até os dias atuais

E nesse vídeo abordo os detalhes que levaram a criação do UNIX. Acompanhe e deixe a sua opinião.

História do UNIX

Fontes:

https://timmerman.wordpress.com/2010/01/09/a-histria-do-unix-resumida/

https://pt.wikipedia.org/wiki/Unix






A História do UNIX

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Recentemente fiz um vídeo abordando sobre a questão do marketing no Linux, motivo pela qual leva os sistemas da Microsoft e da Apple a terem um número maior de usuários do que as distribuições Linux.

Logo que começamos a utilizar alguma distribuição Linux, começamos a nos questionar, porque apesar de ser um sistema seguro, e repleto de qualidades, possui tão poucos usuários em relação por exemplo ao Windows. E é nesse ponto que também esbarramos na questão do marketing.

E nesse vídeo abordei algumas questões que na minha opinião, afetam as distribuições Linux.

Acompanhe e dê a sua opinião.



MARKETING NO LINUX

terça-feira, 14 de novembro de 2017


Nesse dia 14 de novembro finalmente chegou o lançamento do Fedora 27, já estando liberado para o público, estando disponível para downloads na página do projeto.

Nessa versão, que só foi liberada após a resolução de bugs críticos, que levaram ao adiamento por um bom tempo, o Fedora chegou com diversas novidades, dentre elas posso destacar o Gnome 3.26 que traz uma central de configurações redesenhada além do Libreoffice 5.4Ambos possuem vídeos no canal, se quiser assistir clique nos links.

Uma melhoria significativa está sendo trazida para o flatpak, além do PipeWire chegando para ser o PulseAudio dos vídeos que está sendo desenvolvido pela Red Hat. 

Essa versão também está trazendo diversos pacotes em suas novas versões, tais como RPM 4.25, Glibc 2.26, Perl 5.26, Golang 1.9 além do Java 9.

O Fedora evoluiu muito desde a sua versão número 1, e você pode constatar nesse vídeo sobre a evolução do Fedora, que mostra a evolução do sistema, até chegar na versão 27 recém lançada.


Segue o link para download da versão 27 do Fedora




LANÇADO O FEDORA 27

Acompanhe o Canal RikerLinux No Youtube

HISTÓRIA DO GNOME SHELL

ADOÇÃO DE LINUX PELA PREFEITURA DE MUNIQUE NA ALEMANHA

MAIS ANTIGAS

Translate

Recent