RECENTES

DESTAQUES

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019


Muitos que chegam no mundo das distribuições Linux, se depararam com um desafio para substituir o MS office. Por mais que tenhamos excelentes opções como o Libre e o WPS office, alguns não se sentem a vontade com tais softwares, por isso venho lhes apresentar uma opção que pode lhes surpreender.

O FreeOffice é uma suíte de escritório de produtividade gratuita para uso doméstico e empresarial, desenvolvido pela empresa alemã Software Maker. Se trata basicamente de uma versão gratuita do pacote do SoftMaker Office. Oferecendo alguns recursos úteis para substituir o Microsoft Office. 





Apesar de ser um software poderoso, o FreeOffice é extremamente prático e fácil de usar, permitindo que você mantenha o seu ritmo de trabalho. Ele vem com seus próprios aplicativos que são como irmãos do Microsoft Office; para o Excel temos o PlanMaker , para apresentações o Presentations ao invés do PowerPoint e TextMaker em substituição ao Word.



O FreeOffice disponibiliza seus principais recursos de graça, porém alguns recursos importantes só estão disponíveis na versão paga, e para isso será necessário uma atualização para o programa Office do SoftMaker. Contudo o FreeOffice por si só já é o suficiente para criar e editar uma apresentação ou planilha sem a versão atualizada do SoftMaker. oferecendo inclusive otimização para telas touchscreen.





Recursos do FreeOffice

Dentre alguns recursos do FreeOffice posso destacar a interface revisada que vem com uma aparência que combina as cores da parte do menu antiga com a nova decoração sendo mais moderna. A nova faixa de opções sugere um comando triangular onde todos os recursos avançados são mostrados; os recursos antigos permanecem os mesmos. Até mesmo a barra de ferramentas de acesso rápido pode ser personalizada com funções usadas com freqüência.

TextMaker (Word): Não importa o quão complexo seja o documento, o TextMaker pode tornar a edição possível para você com suas capacidades de DTP. Juntamente com o suporte DOCX, este aplicativo permite inserir cabeçalhos, tabelas, imagens, rodapés e gráficos.Pode criar eBooks completos, pois tem um exportador de PDF significativo. Elementos suspensos e modelos de alta qualidade que combinam facilidade e qualidade premium.

PlanMaker (Excel): O FreeOffice PlanMaker tem cerca de 350 funções que podem resolver cálculos complexos no menor tempo possível e máxima precisão. Ele suporta o formato XLSX e é elegível para criar gráficos, tabelas, planilhas e cálculos de qualidade premium. 

Apresentações (PowerPoint): As Apresentações do FreeOffice dominaram o conceito de slide de maneira revisada. Independentemente do número de layouts, o FreeOffice pode fazer com que os layouts sejam parecidos com os da Microsoft. Este aplicativo agora suporta o formato PPTX, e a melhor parte é que as transições e animações baseadas no OpenGL nunca foram tão fáceis como agora, com a ajuda do FreeOffice. Combinando arte, textos, slides, animações, imagens e tabelas, esta ferramenta faz uma apresentação que se destaca de outras apresentações feitas em outros softwares para mesmo fim.
E o melhor de tudo, é que o FreeOffice está Disponível para tanto para Linux, Windows com para Mac.
A interface tem otimização para tela sensível ao toque. Tanto a faixa de opções quanto o menu clássico podem abrir para  o recurso de touch screen.

Como ele suporta DOCX, XLSX e PPTX, não é necessário converter arquivos durante o importação para o programa, basta pegar na pasta onde o arquivo está salvo, arrastar e soltar no FreeOffice.

E você, já conhecia essa opção ao MS Office? Deixe aqui o seu comentário.

Segue o link para download do FreeOffice, eles vão enviar uma chave de ativação para o seu email, mesmo na versão gratuita.

Fonte:

Precisando de um substituto ao MS office? Conheça o FreeOffice

quinta-feira, 31 de janeiro de 2019


Assim como é esperado uma spin do fedora com a interface do Deepin, a versão 30 do sistema azul também pode trazer uma variante com a interface Pantheon do ElementatyOS, contudo você não precisa esperar a próxima versão para testar essa interface no Fedora, e isso graças aos esforços de Fabio Valentini.

A interface Pantheon do ElementaryOS agora está disponível para o Fedora 29. O porte está trazendo essa interface bem agradável para o sistema azul. E já é possível testar e utilizar a mesma, contudo ela ainda não está completa pois seu porte ainda está em andamento, por isso você não conseguirá utilizar o gestor de arquivos e nem o app de configurações do sistema.

Para fazer a instalação basta digitar os seguintes comandos:


sudo dnf install elementary-files elementary-wallpapers elementary-theme elementary-icon-theme elementary-terminal elementary-sound-theme elementary-shortcut-overlay switchboard

O que acha da interface Pantheon? Pretende testar a mesma no Fedora? Deixe aqui o seu comentário.

Instale a interface Pantheon Shell no Fedora

quarta-feira, 30 de janeiro de 2019



Estamos em uma era onde cada vez mais empresas estão se familiarizando com a sustentabilidade dos projetos de código aberto. E recentemente uma Startup estrangeira arrecadou a quantia de 25 milhões de dólares para financiamento de projetos Open Source. 



Caso ainda não conheça, a Tidelift é uma startup que visa apoiar os desenvolvedores e mantenedores monetizando os softwares de código aberto e, ao mesmo tempo, ajudando-os a proteger e melhorá-los.

Para entender como eles executam essa ideia, no site da empresa diz o seguinte:



"Primeiro, as equipes de desenvolvimento do software devem poder depender do software de código aberto que incorporam em seus projetos. Eles devem ter certeza de que são confiáveis ​​- com um suporte profissional, tornando mais seguros e fáceis de integrar, mantendo os mesmos de maneira adequada.

Enquanto isso, os mantenedores do Open Source e suas equipes centrais devem ser compensados ​​pelo valor que seus projetos agregam. Eles devem ter acesso fácil aos usuários que patrocinam e às ferramentas necessárias para fornecer uma experiência de software profissional."

Em suma a Tidelift tem clientes corporativos que utilizam softwares de código aberto para os negócios. E também possui mantenedores que contribuem para a manutenção dos softwares Open Source em questão. Portanto a Tidelift cobra da empresa valores pela manutenção do software de código aberto que usam. E repassa aos programadores dos softwares para que eles o mantenham.

Achei excelente essa iniciativa, pois é uma forma de manter o padrão de qualidade dos softwares de código aberto, e ao mesmo tempo remunerar os desenvolvedores empenhados no mesmo, pois não existe almoço de graça.

Em apenas sete meses a empresa conseguiu subir de 15 milhões de dólares arrecadados para a quantia de 25 milhões de dólares.

Esse financiamento envolveu a General Catalyst , Foundry Group e Matthew Szulik (ex-presidente da Red Hat) como patrocinadores.


A respeito dessa marca alcançada, Luis Villa (co-fundador da Tidelift), twittou sobre sua missão de contratar mais pessoas à medida que os investimentos nos softwares de código aberto aumentam.
O que achou dessa Startup que investe em projetos de código aberto? Deixe aqui o seu comentário.

Fonte:

Startup Tidelift arrecada 25 milhões de dólares para financiamento Open Source

quinta-feira, 17 de janeiro de 2019


Através dessa matéria venho abordar e tentar englobar as ultimas novidades sobre a distribuição Linux Fedora, pois o ano de 2018 terminou com algumas notícias prometendo grandes mudanças nesse sistema Linux, desde a venda da Red Hat para a IBM, pois a Red Hat é uma grande investidora e fomentadora do Fedora, até na possibilidade de não lançamento do Fedora 31. Vamos as principais novidades.

Fedora Deepin

Mal começamos o ano de 2019 e já temos o anúncio da disponibilidade da interface DDE do sistema chinês Deepin para a distro azul. Tal interface já estava disponível na versão Rawhide do Fedora 30 e agora se tornou oficial, o suporte para a próxima versão, na qual você pode instalar com os comandos abaixo:

sudo dnf update

sudo dnf install deepin-desktop


sudo dnf install deepin-calendar deepin-calculator deepin-editor deepin-image-viewer deepin-picker deepin-screenshot deepin-system-monitor

Vamos ver se o Fedora com interface DDE cai no gosto dos usuários, e se ele traz as novidades que foram lançadas na versão 15.9 do Deepin, que adicionou suporte a gestos touchscreen na tela.

Nova Logo

A logo do Fedora vêm evoluindo durante anos, desde o Fedora Core até as versões atuais, dessa distribuição Linux que derivou de um repositório do RHeL.

Algumas propostas foram expostas pelo designer Máirín Duffy da Red Hat/Fedora, e essas mudanças já podem acompanhar a versão 30 do sistema, que pode ser uma versão mais longa do que de costume devido a mudanças no projeto. Como foi dito pelos designers se trata de uma proposta que é mais evolucionária do que revolucionária.

E você pode conferir nas imagens baixo.

Imagem 1:



Imagem 2:





E você pode ajudar na escolha ou dar algum palpite sobre a nova logo do Fedora na página do Blog de Máirín Duffy.


Fedora 30, o que esperar?

O Gnome 3.32 pode estar incluso no Fedora 30, essa versão do Gnome está sendo aguardada pela promessa de grandes aprimoramentos do Wayland. Além de uma grande melhoria do Firefox que teria seu pacote construído com o Clang ao invés do GCC, por decisão dos desenvolvedores do Fedora, para acompanhar a mudança da Mozilla do GCC para o LLVM Clang. Contudo voltaram atrás e consequentemente lucraram com as pesquisas dos desenvolvedores da SUSE e Red Hat do GCC, que encontraram e corrigiram alguns bugs melhorando a construção do Firefox com o compilador GNU. 


Fedora 31 pode não existir?

Em busca de uma restruturação do projeto, passando desde a maior credibilidade dos testes automatizados, até na maior segurança, o Fedora na versão 30 deve se manter por um tempo maior ativo,  atrasando ou talvez fazendo o sistema pular a versão 31. Essa restruturação também visa  torna-lo mais confiável, reduzindo inclusive os esforços para produção do sistema.
Fonte:

Aqui, Aqui e Aqui





Ultimas novidades sobre a distribuição Linux Fedora

segunda-feira, 31 de dezembro de 2018


Recentemente diversos blogs sobre Linux têm abordado sobre a chegada de um Fedora com a interface DDE do Deepin. Tudo começou com uma matéria do Phoronix,que mencionou ter visto a referência na Wiki do Fedora, seguida do seguinte comentário:

"O Deepin Desktop Environment tornará o Fedora mais interessante para usuários que preferem outra opção de ambiente de trabalho brilhante," diz o pedido da Wiki do projeto.

Na verdade a principio se trata da possibilidade da instalação de tal interface no Fedora 30, pois o mesmo estará disponível nos repositórios.

E segundo constatado, o mesmo já está disponível na versão Rawhide do Fedora 30 e você pode instalar com os comandos abaixo:

sudo dnf update

sudo dnf install deepin-desktop


sudo dnf install deepin-calendar deepin-calculator deepin-editor deepin-image-viewer deepin-picker deepin-screenshot deepin-system-monitor




Torço para que o Fedora DDE se torne uma spin, assim como existe as spins com outras interfaces gráficas do sistema, e que por  sinal dão uma experiência muito agradável de uso, como já constatei nas spins com Kde, Cinnamon e Mate por exemplo. 

E você, já  está testando ou pensa em testar o Fedora com essa interface do Deepin? Deixe aqui o seu comentário.

Fedora Deepin, Será?

sexta-feira, 16 de novembro de 2018

A Canonical acabou de anunciar que a versão 18.04 LTS do Ubuntu, terá um suporte ainda maior para atualizações. Como se já não bastasse os 05 anos como de costume, a empresa resolveu extender para 10 anos e isso foi anunciado em uma Keynote sobre OpenStack que ocorreu em Berlin, na Alemanha. 

A versão 18.04 LTS foi lançada em abril trazendo novos recursos de servidor e nuvem OpenStack, e essa medida visando extender o suporte vêm pouco depois do CEO da empresa Mark Shuttlerworth anunciar, que a venda da Red Hat para a IBM iria alavancar o Ubuntu, conforme comentei nessa matéria.

Quanto a essa extensão do suporte para 10 anos Mark Shuttlerworth comentou o seguinte:


"Estou muito feliz em anunciar que o Ubuntu 18.04 será suportado por 10 anos completos. Em parte por causa das perspectivas muito longas em algumas indústrias, como serviços financeiros e telecomunicações, mas também da IOT, onde linhas de fabricação, por exemplo, estão sendo implantadas, e que estarão em produção por pelo menos uma década, disse Shuttleworth."


Shuttleworth prosseguiu dizendo que OpenStack é incrível e atrai tecnologia de ponta, mas precisa ser entregue para as empresas diariamente. Comentou que afirmou a entrega de um longo suporte quando o IceHouse foi liberado, e afirmou que o que importa não é o segundo dia, o que importa é o dia 1.500. Pois é importante dominar para realmente obter o valor para o seu negócio.


Minha Opinião


Essa medida coloca o Ubuntu como grande opção ao RHeL para as empresas que buscam serviços OpenStack, IoT entre outros, superando os 07 anos de suporte que a Red Hat fornece para seus sistemas, e igualando a marca do CentOS, que se trata de uma compilação do RHeL. Além do mais, o suporte vai proporcionar um tempo maior para os desenvolvedores que desejarem trazer para o Linux aplicações, drivers e apeifeiçoar seus serviços de cloud computer entre outros serviços, criando um ambiente de desenvolvimento mais sólido (no sentido pelo menos de fornecer um sistema base com poucas alterações), permitindo que programas e soluções portadas para a plataforma, tenham um tempo maior para serem testadas, e portadas com maior desempenho. 

Muitos desenvolvedores utilizam o discurso de que a fragmentação do Linux, com diversas distribuições, interfaces gráficas e formas de instalação dos programas, atrapalha no momento de portar certas soluções para as distribuições Linux, pois apesar do Kernel ser o mesmo (com diferenças muitas vezes entre patches) as demais diferenças atrapalham uma solução de funcionar bem em uma distribuição, sendo necessário que diversas versões da uma mesma aplicação ou driver sejam criados, fora a dúvida entre formato de, rpm entre outros. Levando muitos a desistir de portar suas soluções para os sistemas Linux. 

O Ubuntu 18.04 LTS já tem sido o sistema do meu computador de casa, e após essa notícia, está quase se tornando o do meu Ultrabook Sony também. E você, pretende utilizar essa versão LTS? Acha que a Canonical está conseguindo se aproveitar da venda da Rede Hat para a IBM? Deixe aqui o seu comentário.

Fonte:
Sempreupdate 
Diolinux

Ubuntu 18.04 LTS ganha 10 anos de suporte

Acompanhe o Canal RikerLinux No Youtube

HISTÓRIA DO GNOME SHELL

ADOÇÃO DE LINUX PELA PREFEITURA DE MUNIQUE NA ALEMANHA

MAIS ANTIGAS

Translate

Recent