sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

COMO CONHECI E COMECEI A USAR LINUX


Vocês que acompanham esse blog, já se perguntaram como esse blog surgiu, ou quem o criou e porque abordamos tanto a distribuição FedoraNessa matéria irei abordar como conheci o Linux. A matéria de como surgiu o blog eu coloquei separada para não ficar uma leitura muito extensa, o link segue no final dessa matéria, apreciem um boa leitura. 

Primeiramente meu nome é Anselmo Riker, sou do Rio de Janeiro, curto praia, paisagens belas, massas, torço para o Palmeiras e para o Fluminense. Creio em Deus, sou da área de Recursos Humanos, e sou um fomentador de conhecimentos. E venho aqui compartilhar com vocês como me tornei usuário Linux.

Desde quando comecei a usar computadores, quando tinha uns 12 anos, na gráfica de um casal da igreja dos meus pais, que decidiram abrir as portas para que eu e mais alguns jovens pudessem aprender a mexer com Photoshop, Dreamweaver e programação em HTML, a principio fiquei encantado com o CorelDraw, e com os desenhos e efeitos que eu estava aprendendo, ouvi falar sobre Bill Gates e achava tudo um máximo. Mas em meio a tantos desenhos e ferramentas bonitas, eu não gostava daqueles ícones jogados na tela, e nem do formato deles, e comecei a me questionar, já que existiam vários tipos de programas, será que existiam outros sistemas Operacionais também? As primeiras respostas que tive, era que só existia o Windows e como estava chegando na fase adolescente, que é uma fase questionadora, continuei perguntando, até que um adulto com paciência me explicou que existiam outros sistemas, inclusive um tal de Linux, ele ate me explicou algumas coisas, mas não entendi muito bem, entendi basicamente que era bastante complicado.

Logo em seguida ocorreram diversas mudanças na minha vida e da minha família, e esse contato com os computadores duraria apenas uns 5 a 8 meses. Devido a ter crescido em um lar com poucos recursos, fiquei longe dos computadores durante os próximos 5 anos, pois não tinha condições de comprar um e não lidava com computadores em nenhum outro local, Até que surgiram as lan houses, e eu comecei a ir para criar e atualizar minhas redes sociais, que basicamente na época era o Orkut. 

Quando alcancei meus 16 pra 17 anos tive alguns contatos um pouco maior, quando fiz alguns cursos gratuitos sobre o pacote office. E me dei conta de que havia perdido uma boa parte ou quase tudo da pequena aprendizagem que tive aos 12, pela falta de prática.

Quando comecei a trabalhar, fui fazendo uns cursos para crescer profissionalmente e comecei a lidar mais vezes com o Windows. Nessa caminhada, por volta dos 23 anos, estava aquela febre do Ipad, e eu acabei adquirindo um.

Devido a facilidade de uso do IPAD e do Iphone, resolvi me aventurar e comprar um MacBook  Pro, pensando eu que o sistema era igual ao do IPad, e portanto eu não teria maiores dificuldades em aprender e iria me livrar de vez das janelas feias(pelo menos em casa). Pura enganação minha, levei uma surra para aprender a lidar com o MacOS, pois não era igual ao do IPAD, e tive que pesquisar bastante, mas depois de um certo tempo, aprendi a lidar com o sistema, e acabou sendo uma experiência incrível, que me fez desistir de vez do Windows, e passar a amar sistemas UNIX (sem kernel DOS).

Como conheci o Linux

Um belo dia pesquisando na internet, encontrei informações sobre o Linux, o que aguçou a minha curiosidade e me fez tentar fazer um dual boot no meu Macbook Pro. Na época eu não entendia nada de terminal, e pra "melhorar" as coisas, eu baixei o ubuntu server. 

O sistema não possuía interface gráfica ou facilidade alguma, o que me fez procurar um stand de informática para fazer um cd do ubuntu, que demorou uns 2 a 3 dias pra ficar pronto, e finalmente coloquei as mãos no bendito sistema.

Quando instalei o Ubuntu, logo de cara gostei do Unity, achei muito diferente do Windows e do MacOS, estava surpreso pois nunca havia visto uma interface gráfica diferente, nem sabia que existiam diversas opções, achei bonito os ícones na lateral e o acabamento do sistema. O meu encanto porém já estava por terminar, pois pouco depois da instalação, percebi uma lentidão do touchpad, e o sistema não estava fluindo legal igual quando estava com o MacOS, prossegui por mais mais um tempo, e hoje entendo que era falta de um drive de vídeo, entre outras configurações de atualização que eu precisava fazer.

Nesse momento eu já havia experimentado o Linux Ubuntu, e chegava a hora de voltar para o MacOS, pois já estava mais acostumado a usar, como eu havia instalado Linux no HD inteiro, a partição que ficava modo recovery foi deletada. Foi nesse momento que começou o meu problema, como voltar para o MacOS se eu não tinha um bootável do sistema? A minha solução seria encontrar alguém que possuía um Macbook pra criar um pendrive bootável, e me emprestar para que eu conseguisse reinstalar o sistema. Tive que procurar bastante e após quase duas semanas, consegui lembrar de um camarada que fazia reparos para iphone e possuía um Mac. Dessa maneira finalmente consegui resolver o problema, e reinstalar o MAcOS, mas essas situações me fizeram ficar longe do Linux por quase 1 ano.

Como voltei pro Linux

Um belo dia, comecei a trabalhar em lugar, que me dava bastante liberdade sobre a maquina que eu usava, como eu á possuía um Macbook em casa, e não gostava do Windows, resolvi pesquisar um sistema alternativo, para um fazer um dual boot. Eu só precisava do Windows para uma tarefa específica no meu trabalho, e isso com poucas frequências no mês. Após ter pesquisado um pouco e ter assistido alguns vídeos no youtube percebi que havia 3 opções: Hakintosh, Linux e/ou BSD. Para criar um Hakintosh é necessário observar diversos critérios quanto a compatibilidade de Hadware. Além do mais e eu li alguns relatos de usuários sofrendo depois de um certo tempo com Kernell panic, e essa possibilidade era avisada na hora que você estava realizando o procedimento.

Quando decidi pesquisar sobre o Linux, acabei encontrando o blog Diolinux, com dicas e tutorias que me ajudaram na escolha do Ubuntu, e graças a ele consegui fazer o dual boot.

Essas escolhas me abriram a visão para um novo mundo tecnológico, perceber que eu não precisava de um Macbook para "fugir" ou "sair" do Windows, foi como tomar a pilula vermelha de Matrix.

Em outra matéria contei como me tornei um Fedora User e como ocorreu a criação desse blog. O link está nas recomendações de leitura na parte de baixo da matéria onde está escrito, veja também.

Espero que gostem.

Gostava do Fedora? Então assista o nosso vídeo contando a história de como surgiu esse sistema incrível:


Um comentário:
Write comentários
  1. Olá. Eu também comecei pelo famoso Ubuntu. Mas não me identifiquei com este nome e outros motivos, revolvi arriscar a experimentar o Debian, imaginando que seria mais difícil, mas foi tudo tranquilo. E estou até hoje com ele, satisfeito.

    ResponderExcluir

Acompanhe o Canal RikerLinux No Youtube

HISTÓRIA DO GNOME SHELL

ADOÇÃO DE LINUX PELA PREFEITURA DE MUNIQUE NA ALEMANHA

Translate

Recent