quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

PREFEITURA DE MUNIQUE USA LINUX DESDE 2003


Em uma época de crise financeiras como nos dias atuais, os governos se movimentam para tentarem cortar o máximo de gastos possíveis para que as contas possam fechar. Em um cenário como esse, além do ganho em segurança e estabilidade, quando recorremos ao software livre, ao invés do proprietário, temos uma enorme economia, um dinheiro a mais que poderia ser revertido em outras necessidades, ao invés de enormes gatos com software proprietário.

Através dessa matéria irei abordar, o exemplo de uma grande cidade europeia, que adotou o software livre. E ao longo prazo economizou milhões, estamos falando da cidade de Munique na Alemanha.

Estávamos no inicio dos anos 2000 e uma grande cidade estava querendo migrar para o Linux, se esta situação se tornasse um bom exemplo, poderia significar uma grande perda de mercado por parte da Microsoft. Situação que na época levou a Microsoft a estremecer literalmente falando, fazendo com que o então diretor executivo Steve  Balmer, deixasse o campos de esqui na Suíça e se locomovesse rapidamente para a cidade alemã, com intuito de convencer o prefeito de que abandonar os produtos da Microsoft se tratava de um grande erro, na ocasião eles jogaram com todas as cartas possíveis, inclusive contratando um o principal executivo da IBM alemã  na área do Linux, chamado Jurgen Gallman, para que este ajudasse a convencer o prefeito de Munique, que a continuidade com Microsoft seria um negócio muito melhor.

Para ilustrarmos melhor a situação, assim que percebeu o interesse da cidade de Munique em fechar uma parceria com a Suse, a Microsoft, começou a agir, primeiramente aumentando o seus prazos, que antes eram de 3 ou 5 anos, para 6 anos, além de abrir mão da instalação dos diversos programas que já vêm por padrão no Windows, o que acaba encarecendo demais o valor, sem que nós tenhamos a opção de não instalar e nem pagar por estes, permitindo que as máquinas tivessem uma instalação de Windows apenas com a inclusão do Word, software imprescindível para as necessidades da cidade alemã. 

A gigante norte-americana partiu de uma proposta de US$ 36,6 milhões, para US$ 23,7 milhões, com um corte de cerca de 35% do valor. Em contrapartida a Suse ofereceu um valor de US$ 35,7 milhões.

Apesar da grande diferença entre as duas propostas, o concelho da cidade alemã entendeu que a proposta da Suse era mais interessante, pois se tratava de um valor único, do contrário da Microsoft, que negocia os seus serviços, e em um prazo de no máximo 6 anos, iria gerar um outro gasto exorbitante para os cofres de Munique.

Mesmo com toda a movimentação de Steve Balmer, indo pessoalmente tentar pender a negociação para o lado da Microsoft, não conseguiram evitar que a prefeitura da cidade de Munique, fechasse o acordo com a Suse em US$ 33 milhões de dólares, e migrasse seus 14.000 computadores para o Linux. A princípio a distribuição escolhida foi o Debian,  e OpenOffice mas depois foram substituidos pelo Libreoffice e Ubuntu.

Com o passar dos anos foi constatado uma economia de cerca de 10.000.000€ milhões de euros, não sendo mais necessário outro investimento da magnitude dos US$ 33 milhões de dólares do acordo inicial. Não sendo mais necessário nenhum gasto além dos que a prefeitura já possui com a manutenção de suas máquinas, ou troca das mesmas, quando necessário como qualquer empresa ou setor público possui normalmente. Além do ganho em estabilidade, segurança.

Segue o nosso vídeo sobre o assunto.



Já conhecia os detalhes dessa negociação? Deixe aqui o seu comentário.

Fonte:
Aqui

Veja também:



Nenhum comentário:
Write comentários

Acompanhe o Canal RikerLinux No Youtube

HISTÓRIA DO GNOME SHELL

ADOÇÃO DE LINUX PELA PREFEITURA DE MUNIQUE NA ALEMANHA

Translate

Recent